quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

I com a veia artística ao rubro


Acabados os testes, o I voltou a ter mais tempo. Gostei de ver que em vez de "gastá-lo" todo só para ecrãs e afins aproveitou para desenhar.


Gostou tanto de fazer este desenho para oferecer ao Pai que passados uns dias fez o abaixo.



Mostrou-mo muito orgulhoso por tê-lo feito "da sua cabeça", ou seja sem copiar a ideia de algum lado. Quando desenhou o que deu ao Pai questionou-nos se deveria pintá-lo, mas com receio de estragá-lo não quis arriscar. Preferiu usar o esfuminho. Acho que parte do seu orgulho neste desenho foi ter decidido arriscar e ter gostado do resultado (tão bom vê-lo derrubar aquelas barreiras interiores!). 
O desenho está na sua mesa de cabeceira. Segundo ele, gosta de o ver quando se levanta e antes de se deitar. Confidenciou-me, maravilhado com a sensação, que olhar para ele o deixa mesmo feliz. 



quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Projecto de reflorestação #Terradeesperanca #Projectopronatura


Soube deste projecto através da Rádio Comercial e hoje fui ver do que se tratava. Vejam aqui (Click!). Acho uma óptima iniciativa da Galp ter-se associado ao Projecto ProNatura da ANEFA. Espero que mais empresas adiram e que a ANEFA tenha capacidade para tratar o mais rapidamente possível de toda esta logística que é colocar voluntários a reflorestar Portugal. 
Desde os incêndios que me questiono como poderia eu ajudar e contribuir para voltarmos a ter um Portugal Verde. Já me inscrevi como voluntária e gostaria mesmo que desse para levar o H e o I, assim num programa de voluntariado em família. Tenho de ver qual o limite de idades e as datas disponíveis.
Para nos inscrevermos é bastante fácil. Basta deixar o nosso nome e o nosso email, e temos de escolher qual o distrito que queremos ajudar.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Das coisas Natalícias que me enchem os dias...




No frenesim dos dias tenho dificuldade em "assentar no sofá". Enquanto não volto a pegar nas  agulhar da malha, uns pequenos lavores natalícios vão-me ocupando...


Eu tinha avisado aqui (Click aqui!)




In the crazyness of my days it's dificult when the day comes to it's end to stop and just "lounge on the sofa". While I don't pick up my knitting needles, a little Christmas DIY takes place ...




Dans la folie de mes jours celá m'est difficile, à la fin de la journée de m'arrêter et de simplement "me prélasser sur le canapé". Pendant que je ne retourne pas à mes aiguilles à tricoter, un petit "à faire soi même" de Noël a lieu ...

Citações da minha Mãe #01


É desta! A minha Mãe passa a vida a debitar citações, provérbios, ditados, o que lhes quiserem chamar, quer em português, quer em francês. Ao final de tantos anos ainda me consegue surpreender com alguns novos. Decidi começar a registá-los aqui numa nova rubrica. 

A de hoje surgiu quando, antes do almoço estava a comentar que o H ia ter um almoço-piquenique perto da casa dela e que o tempo não estava do melhor para estas actividades. Ela comentou que de manhã nem tinha chovido, mas que ao almoço logo se veria, porque "como se costuma dizer" (locução que me prepara sempre para o ditado!) ao meio dia ou carrega ou alivia

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Quanto tempo vive um gafanhoto?


De há uns anos para cá é normal ter um gafanhoto na minha casa a apanhar sol em certas épocas do ano. Este ano tirei-lhe uma foto e fiquei a pensar se porventura poderia ser o mesmo gafanhoto. Afinal não faço a mínima ideia de quanto tempo vive um gafanhoto. Pois aqui a menina foi instruir-se (num tema de profundo interesse...) e fui googlar quanto tempo vive um gafanhoto. Encontrei as mais diversas respostas: 25 dias, 50 dias, 5 meses, 7 a 8 meses. Fiquei mais ou menos na mesma.




Portanto este gafanhoto não será o mesmo dos outros anos. Porventura um descendente, cujos genes lhe disseram que se apanhava bom sol nesta fachada.




Este, pelo menos, não se instalou perto da pega da porta de entrada, como o do ano passado. Quando eu me aproximava para abrir a porta dava a volta e ficava por detrás da ripa, para logo de seguida dar nova volta e ficar de novo ao sol.

Fiquei a saber que medem de 1,5 cms a 10 cms no máximo. O "meu" gafanhoto está na média. Deve medir aproximadamente uns 5 cms. Não menos importante também descobri que no Japão são considerados um sinal de boa sorte. Mas venha só um de cada vez, OK?

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

O Boneco da estante #15


Isto está a tomar dimensões nunca vistas! Será que ele já percebeu que eu tiro fotos do boneco?



Temos uma versão à la Wrestling! Apareceu um intruso na estante que ficou logo arrumado.



This is gone beyond expectations! Does "I" noticed that I'm taking pictures of the doll?

We have a Wrestling version ! An intruder appeared on the shelf, which was soon knocked out.





Cela prend des dimensions jamais vues auparavant! At-il déjà remarqué que je prends les poses de la poupée en photos?

Nous avons une version Wrestling! Un intrus est apparu sur l'étagère, mais a été bien vite assommé.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Aviso : Este ano estou em extra mood natalício


Considerem-se avisados! No último ano,  confesso que o Natal me pesou um pouco. Não estava mesmo na onda natalícia. Segui as tradições com algum custo, fazendo um esforço para entrar no espírito. 

Parece que a vontade ficou toda reservada para este ano. Já sonho com decorações de Natal (a árvore já está na sala à espera de ser decorada). Ando aí com um projecto que me está a dar um gozo danado. Por questões de confidencialidade natalícia não o posso ainda revelar aqui (estou com tanta vontade...). Para já deixo-vos com uma mini árvore de natal feita com um post it enquanto fazia uma formação online no trabalho. Eu avisei!



 Não está o máximo? Temo que o meu espaço de trabalho se transforme num pinhal nos próximos dias...

H piadolas

H: "Mãe, podes dar-me dinheiro para o almoço de anos da minha amiga amanhã?"
M: "Andas a sair-me caro este mês, meu caro. É só almoços de anos..."
H: "Não te preocupes, tenho andado a guardar os trocos. Ao final de 3 almoços no espaço de um mês terás direito a um almoço de graça! É uma promoção especial para Mães".




quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Hoje vou trabalhar "melhor"



O meu querido vizinho trouxe-nos uma caixinha de medronhos do Fundão. Acho imensa graça  a estes pequenos gestos. Ele faz isso com um sentido muito didáctico. Acho que pensa que nós - gente que cresce na cidade - não sabemos o que são "estas coisas do campo" e ao longo do ano vai-nos trazendo pequenos mimos da sua terra. Ou senão, é somente porque é um vizinho querido e gosta de mimar a vizinhança.

Hoje trouxe estes para o trabalho... Como estão bem madurinhos, acho que pode vir a ser um dia "alegre"... Pelo sim, pelo não, vou comendo espaçados ao longo do dia...





My dear neighbor brought us a box of strawberries tree fruits from Fundão. I find these little gestures soo nice. He does this in a didactic way. I think he believes that we - people who grow up in the city - do not know what "these things from the countryside" are and throughout the year he brings us small stuffs from his land. Or else, it's only because he's a dear neighbor and likes to spoil the neighborhood.

Today I brought these to work ... As they are very mature, I think it can turn out it will  be a "happy" day ... Just in case I'm eating them one-by-one throughout the day ...




Mon cher voisin nous a apporté une boîte d'arbouse de Fundão. Je trouve ces gestes si gentils. Il le fait d'une manière très didactique. Je pense qu'il croit que nous - les gens qui vivent en ville - ne savons pas ce que "ces choses de la campagne" sont et tout au long de l'année il nous amène plusieur petites choses de chez son village. Ou bien, c'est seulement parce que c'est un voisin vraiment sympas qui aime gâter son voisinage.

Aujourd'hui, je les ai apporté au travail ... Comme ils sont très mûrs, je pense qu'il se peut que j'ai un jour bien "animé" ... En tout cas, je vais les manger un par un au long de la journée ...


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O Boneco da estante #14

(For english scroll down - Pour français voir en bas)




Hum... Começo a desconfiar se o H não estará também a mexer no boneco... É que o "dab" é um gesto ao qual o I não liga nenhuma, mas que o H faz muitas vezes lá nas suas brincadeiras com os amigos. E o facto das pernas terem ficado quietas... não me parece nada do I.


(para quem é novo pelo estaminé, sugiro uma espreitadela aqui!)


Um ... I'm beginning to suspect that H is playing with the doll too ... The "dab" is a gesture that "I" does not care about at all, but that H does many times when he is with his friends. And the fact that the legs remain still ... it does not look like something done by "I".


(for those who are new arround here, I suggest a sneak peek here!)



Euh ... Je commence à soupçonner que H touche aussi à la poupée ... Le "dab" est un geste dont I ne me souci pas du tout, mais que H fait plusieurs fois quand il est avec ses amis. Et le fait que les jambes n'on pas l'air de bougées... ça ne ressemble pas à I.


(pour les nouvelles visites, je suggère un petit détour par ici!)




domingo, 12 de novembro de 2017

Finalmente no Outono!


Pelo menos na minha cabeça e coração. Acho que o São Martinho despertou o Outono em mim. Esta manhã apeteceu-me fazer o meu centro de mesa de Outono. Quem me segue há algum tempo sabe que tenho dois espíritos decorativos cá em casa - Outono e Verão - que se refletem no meu centro de mesa. 


Além de serem decorativos,  evocam também os momentos e os lugares de onde trouxe os elementos que os compõem ou as pessoas que me trouxeram alguns deles. 


As bolotas de eucalipto apanhadas em caminhadas com o I e o H. O ramo de zimbro trazido da zona do Fundão pelo meu vizinho para nos mostrar o que era zimbro. As castanhas apanhadas nas minhas caminhadas matinais com a minha amiga I. Outras coisas trazidas pela minha Mãe das suas caminhadas e viagens (quando vê uma que acha que não tenho, trá-la-ma).  Uma que eu trouxe agora dos Açores. É ter um pedaço de Natureza dentro de casa e todas estas memórias que me alegram os dias. 


segunda-feira, 6 de novembro de 2017

E se o nosso trabalho de sonho pudesse ser feito enquanto dormimos?



A maioria de nós coloca o seu telemóvel a carregar durante a noite. E se todos fizermos algo tão simples como pôr uma App a funcionar enquanto deixamos o telemóvel a carregar? E se isto permitir que investigadores para a cura do Cancro, que estão a trabalhar na Austrália, possam usar a capacidade de processamento dos nossos telemóveis (que são "mini" computadores) para trabalhar informação para chegar a conclusões nas suas investigações? E se pudermos dizer qual o volume de dados que podem usar? E se estivermos ligados em Wi-Fi e como tal nem temos quaisquer custos de dados consumidos?


Eu já instalei a App DreamLab e vou experimentar esta noite. Depois volto a dar novidades!

Parece-me realmente uma oportunidade de sonho para ajudar quem quer investigar algo tão importante e sabe que demoraria tempos infinitos para processar os dados necessários para chegar às suas conclusões. Parece que com muito pouco podemos ajudar muito.


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Visita à Ofélia em S.Miguel e o regresso aos meus sketchings


Já mencionei que adoro viajar? Nem a previsão da visita do Furacão Ofélia à Ilha de São Miguel nos Açores me demoveu na minha primeira visita aos Açores. E ainda bem. Adorei São Miguel! Adorei os Açorianos. Gente muito simpática e genuína. Simples e francos. E a comida! Sempre me tinham dito que a comida na Madeira era muito melhor. Achei que era melhor, sim, mas não ao ponto de dizer que era muito melhor. Foi o que senti nestes dois dias na ilha. Foram dois dias intensos. Estou convencida que foi apenas a primeira de muitas idas aos Açores. 


Apanhamos logo o voo das 6 e tal da manhã que atrasou um pouco. Não consegui resistir aos tons do céu e comecei logo os meus rabiscos no avião.

Passámos o Sábado a fugir aos ventos da Ofélia. Assim que chegámos fomos deixar as coisas ao Hotel e passamos logo pelo Mercado. O resto do dia passeamos sobretudo de carro a ver as vistas. Conseguimos apanhar apenas com uns chuviscos aqui e ali ao longo do dia. 


Ao final do Sábado recolhemos ao Hotel para descansar um pouco antes do jantar, mas com esta vista não consegui resistir. Acabei de pintá-lo no dia seguinte.



Adoro faróis e apaixonei-me pelo Farol da Ferraria. Ali à beira mar no meio das ventanias da Ofélia, senti que tinha que retratá-lo. As canas da caneira estavam todas vergadas com as rajadas de vento e tive de apanhar o meu cabelo, sob o risco de ficar parecida com a Medusa. O Farol, ele, transmitia uma serenidade e uma calma, impassível à passagem da Ofélia.


Fiquei surpreendida com o Moinha das Feteiras. Ignorância minha, não conhecia o formato dos moinhos em São Miguel. Ou até conhecia e não me lembrar, pois imagino que deverá estar retratado num selo qualquer  de Portugal da minha colecção (não imagino não ter sido retratado num selo...). Integrado num Turismo Rural, está com aspecto de estar muito bem cuidado. Ainda contornei o muro na esperança de ver se conseguia entrar no Turismo Rural, mas estava tudo fechado. 

Tive um atraso de 5 horas no voo de regresso, o que foi óptimo, pois tendo sido previamente avisada das 3 primeiras, conseguimos gozar São Miguel até quase final da tarde, e, já no aeroporto e a bordo do avião, acabei de pintar os meus sketchs. 

Tenho de partilhar convosco um episódio muito engraçado. No átrio, à frente da porta de embarque, tinha uma senhora sentada ao meu lado que acabou por ficar no lugar ao lado do meu no avião. Quando, momentos antes de aterrar, guardei o meu kit de sketching, ela pôs-se comigo de forma muito educada e perguntou se estes desenhos eram pessoais ou se eu os expunha publicamente. Respondi-lhe que sim, eram pessoais e só os mostrava em privado. Ao que a Sra. de forma muito simpática disse que era uma pena, que mereciam ser expostos. Disse que adorava São Miguel e que revia a magia de São Miguel perfeitamente nos meus desenhos. Acabou por agradecer-me o privilégio de a ter deixado ver-me pintar. Que simpatia! Realmente a reacção das pessoas aos nossos desenhos é tão variada, mas normalmente sempre bastante agradável.