quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Mais uma experiência na minha slow cooker - galo inteiro

Ainda estou em fase de namoro com a minha slow cooker (uma prendinha da minha mana e cunhadito ;) ). Tenho estado a testar receitas. Este fim-de-semana os meus pais deram-me um galo caseiro. Mais concretamente duas metades. É realmente um privilégio conseguir aceder a bens de pequenos produtores. Sobretudo quando são conhecidos, aumentando a confiança na qualidade do que estamos a comer.

Cheguei a casa e coloquei-o no frigorífico a descongelar, já com a ideia de o fazer na slow cooker. Pesquisei receitas de galinha inteira feitas em slow cooker no pinterest e é todo um mundo. Este tipo de panelas é muito utilizado nos EUA, no Canadá e em França. Recomendo receitas francesas que são mais paleo, ou seja, não utilizam ingredientes processados e molhos por tudo e por nada. Acabei por seleccionar uma receita que era bastante rápida de preparar, com algumas adaptações minhas. Com o coração nas mãos fui trabalhar e deixei o galo a fazer. Não por o deixar sem supervisão, que já depósito uma grande confiança na minha slow cooker, mas sim porque experimentar uma receita com um galo caseiro é uma grande responsabilidade. 

Quando cheguei a casa foi só desligar a slow cooker. Umas das grandes vantagens é quando chego já ter a comida pronta para comer. Que maravilha! O H disse logo que estava um cheiro espectacular e que queria jantar rapidamente. Não teve de esperar muito. Foi só aquecer numa frigideira umas batatas "normais" e umas batatas doces  que tinha assado no forno na segunda, pôr a mesa e sentarmo-nos para comer. Estava mesmo bom! Por baixo do galo coloquei cebola em quartos e pedaços grandes de cenoura para erguer o galo e ele não ficar mergulhado no líquido que iria resultar da cozedura lenta. Não coloquei líquido nenhum, mas vejam abaixo o líquido que fica no final. Espantoso! É só necessário pincelar o galo com azeite misturado com uns condimentos um pouco a nosso gosto. Neste caso misturei no azeite sal, um pouquito de pimenta, gengibre em pó, tomilho e um pouquito de vinha d'alho, uma colher de sobremesa mal cheia. Não costumo usar vinha d'alho, veio lá para casa pela mão do meu maridinho, mas como estava com pouco tempo para a preparação optei por usá-lo. O tempo de preparação ronda os 5, 10 mins no máximo. É colocar a tampa e ir com a certeza que quando chegar a casa terei o jantar já feito.


Foto de cima: O galo pincelado e colocado por cima da cebola e cenoura
Foto de baixo: O galo no final do nosso jantar (Nem me lembrei de tirar foto antes de o servir)



Mais uma receita aprovada. Agora é esperar por ter novamente galo caseiro para repeti-la ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada por passar por cá e deixar o seu comentário!